Livro da Bolsa

IV – Linhas de Tendência - Como Desenhar Uma Linha de Tendência
Índice   •   Anterior   •   346 - 347 - 348 - 349 - 350 - 351 - 352 - 353 - 354 - 355 - 356 - 357 - 358 - 359 -    •   Seguinte
É um conjunto dessas linhas usadas no dia a dia que
nos ajudam a atingir os nossos objectivos.
Vejamos agora um exemplo em gráficos de velas de
quatro horas cada, e de forma mais ampliada para
termos uma noção melhor do que seria feito no dia a
dia, caso nos deparássemos com a evolução dos preços
e fossemos estudando as possibilidades nós mesmos na
busca de linhas de tendência:
Começámos no exemplo acima, por considerar o
mínimo da primeira vela longa do gráfico como ponto de
teste inicial, e o mínimo de uma vela posterior como
segundo ponto de teste, que seria confirmada pelas
velas seguintes que tocariam nessa linha de tendência
mas sem a quebrar, dando esse toque origem a uma
vela branca muito forte que levou os preços a subirem
de seguida.
Este é um dos casos em que um ponto de confirmação,
por si só, já nos dá lucro, que é o que acontece por
vezes ao tentarmos achar linhas de tendência, nem que
dê lucro apenas uma vez num ponto de confirmação,
por vezes acerta-se e esses lucros compensam.
Contudo, essa linha de suporte não dura muito tempo e
acaba por ser quebrada pelos preços mais acima.
www.LivroDaBolsa.com
Pág.
352
NOTA:
Por vezes o próprio ponto
de confirmação de uma
L.T.
que estamos a
testar, poderá dar-nos
lucro se quisermos tomar
a
L.T.
não confirmada e
em teste como válida já,
mas isso será arriscado
pois há por vezes muitas
tentativas falhadas de
L.T.
até obtermos uma
válida.
Nota: Estas páginas poderão conter alguns erros de escrita devido à conversão automatizada para HTML, bem
como perda de qualidade das imagens, mas poderá ver a versão correcta e mais legível na versão PDF do livro.
Estas páginas em versão HTML não foram também preparadas para serem abertas no navegador IE.

Livro da Bolsa