Livro da Bolsa

IV – Linhas de Tendência - Como Desenhar Uma Linha de Tendência
Índice   •   Anterior   •   340 - 341 - 342 - 343 - 344 - 345 - 346 - 347 - 348 - 349 - 350 - 351 - 352 - 353 -    •   Seguinte
Agora, como se deve então desenhar uma linha de
tendência num gráfico que queiramos analisar.
Há dois passos essenciais na criação de uma linha de
tendência: Antes de tudo, como primeiro passo, vem a
tentativa de desenho de uma Linha de Tendência.
Como pudemos ver anteriormente, quando se começa a
desenhar uma linha de tendência, com apenas dois
pontos de contacto, nunca saberemos se ela se virá a
tornar uma linha de tendência viável ou não no futuro,
pelo que teremos de fazer uma tentativa primeiro de
achar uma linha de tendência que possa a vir ser
confirmada posteriormente e depois verificar se
funciona.
Essa tentativa será feita unindo dois pontos do gráfico,
sendo esses pontos mínimos ou bases, que
encontramos nos fundos de algumas ondas, no caso dos
preços se encontrarem numa tendência de subida, para
acharmos uma linha de tendência ascendente que será
por sua vez um suporte aos preços, ou então serão
máximos ou topos no caso dos preços se encontrarem
numa tendência de descida, para acharmos uma linha
de tendência descendente que será por sua vez uma
resistência à subida dos preços.
Estes dois pontos iniciais, serão chamados de pontos de
teste, pois são parte de uma tentativa de achar uma
possível linha de tendência válida.
Após estes dois pontos, terá de existir um terceiro
ponto na linha de tendência que acabámos de desenhar
unindo os dois pontos de teste, sendo esse terceiro
ponto chamado de confirmação, o segundo passo.
Se tivermos desenhado uma linha de tendência unindo
dois pontos de teste, e virmos que é confirmada por um
terceiro ponto, o de confirmação, saberemos que temos
uma linha de tendência válida, que poderá ter alguns ou
mesmo muitos pontos no futuro em que os preços ao
www.LivroDaBolsa.com
Pág.
342
NOTA:
O método de desenho de
uma nova Linha de
Tendência, tem dois
passos principais. O
primeiro será a tentativa
de se desenhar essa
mesma Linha de
Tendência unindo apenas
dois pontos de contacto,
os chamados pontos de
teste. O segundo passo
passa por procurar um
terceiro ponto que será o
ponto de confirmação
dessa mesma linha de
tendência, um ponto
onde os preços toquem
nessa linha e ressaltem,
para termos assim pelo
menos três pontos onde
se possa ver que essa
linha é um Suporte ou
Resistência válidos e
consequentemente, uma
linha válida. Só existindo
esses três pontos, ou seja
os dois da tentativa e o
terceiro da confirmação, é
que teremos uma Linha
de Tendência válida, que
posteriormente poderá
ser útil, ou não.
Nota: Estas páginas poderão conter alguns erros de escrita devido à conversão automatizada para HTML, bem
como perda de qualidade das imagens, mas poderá ver a versão correcta e mais legível na versão PDF do livro.
Estas páginas em versão HTML não foram também preparadas para serem abertas no navegador IE.

Livro da Bolsa